GUERREIROS

Já dizia uma música “Guerreiros não morrem jamais…”. Nela eu deixaria subentendido que morrer seria igual a desistir e assim teríamos “Guerreiros não desistem jamais… “. Quem esteve ligado na internet essa noite, a duras penas acompanhando o embate de nossa equipe contra o fortíssimo Pinheiros sabe o quanto isso é verdadeiro e digno de nossa equipe e talvez nunca tenha feito tanto sentido como essa noite, porque não estamos falando apenas de uma vitória, estamos falando de um momento de decisão, onde o resultado nos apontaria para caminhos diferentes e esses bravos heróis escolher continuar, escolheram lutar com tudo que tinham e venceram.
Ao entrarem essa noite em quadra, esses bravos atletas não deram a causa como perdida, não se inibiram com a dificuldade nem se deixaram vencer antes mesmo do jogo começar. Meu sentimento, confesso, era ruim, mas em relação a mim mesma, sentia como se eu estivesse “dando azar”, como se eu atrapalhasse mais do que ajudasse e tinha decido que não acompanharia a estatística, porém quando o relógio soou 20h me senti covarde e percebi que aquilo nem combinava comigo, porque sabia que nossos garotos não estavam levando esse sentimento, porque eu o carregaria?
Saltei da cama da minha mãe e voltei para minha, o jogo já havia iniciado, tínhamos uma vantagem de 5 pontos naquele momento. A sensação que eu tinha e que depois foi confirmada, é que a defesa estava exuberante naquele quarto e assim se seguiu para o quarto seguinte. O ataque do adversário simplesmente não deslanchava e enquanto isso nós abríamos vantagem. Ao término do primeiro tempo tínhamos 15 pontos de frente, um feito importantíssimo.
Destaque do período foi para Manteguinha que até ali somava 12 pontos, para Shilton que estava próximo a consolidar mais um double-double com 9 pontos e 7 rebotes (fato que se concretizou no período seguinte) e em absoluto para Tiagão que com 3 arremessos certeiros de 3 pontos auxiliou a equipe a abrir vantagem.
Era sabido que, no retorno do vestiário não encontraríamos o mesmo adversário de 20 minutos atrás, de maneira  nenhuma venderiam fácil o jogo e a possibilidade de liquidar o processo ali. Voltaram com força total e rapidamente liquidaram a nossa vantagem, porém, mesmo sem alcançar o mesmo êxito defensivo, nosso ataque continuava fluindo e desta maneira, apesar o placar apertado nos mantivemos na frente.
Para o último período ficou a emoção latente. A defesa se acertou e ponto a ponto as equipes disputavam a liderança. Quanto mais próximo ficava o término da partida do lado de cá da tela, em todos os lares dessa imensa cidade, os coração começavam a pulsar mais forte, já não havia mais palavras, voz, ar, estávamos diante de uma possibilidade real de ver nossa equipe jogar em casa novamente.
Na torcida o nervosismo era imenso, porém em quadra a equipe mantinha-se determinada a terminar o que havia começado logo no início da partida, com tranquilidade foram convertendo cestas em momentos importantes e o destaque ficou por conta de Paulinho e Gruber com excelentes aproveitamentos, Gruber, aliás, com 100% de aproveitamento no período.
Mas quis o destino que a história não terminasse ali. Nos últimos segundos o scout parou e pelo twitter de repente veio a notícia do término da partida e uma vitória nossa. Em todo canto eram gritos, lágrimas e uma alegria enorme, que minutos depois tomou um balde de água fria com a notícia de que o jogo fora para prorrogação. O coração voltou a ficar acelerado e confiantes voltamos para a frente do computador, dando uma pequena pausa nas comemorações.
Em quadra o grupo continuava firme. Logo no início perdemos Tiagão e Gruber com 5 faltas, foi quando coube a Coloneze e Guilherme a missão de segurar o ataque adversário e não decepcionaram, além disso ainda contribuíram com pontos valiosos, assim como também Paulinho. O ponto a ponto seguia, basicamente em lances livres e então aconteceu, faltando 13 segundos partimos para o ataque e restando 3 segundos Manteguinha converteu uma cesta de dois. A essa altura pouco podia ser feito por nosso oponente que teve que aceitar que vencemos e a que a série será mais longa do que eles desejavam.
Dentre tantas realizações desse grupo essa sem dúvida foi a mais importante e agora pensando me lembrei de uma entrevista do Paulinho quando ele falava do jogo 5 contra o Minas, que seria o jogo mais importante da temporada e que ele desejava que houvessem outros, hoje posso dizer que houve, ele acabou de ser jogado e vencido por vocês, quando muito com certeza já davam a série como encerrada.
Mais uma vez vocês nos deram um show de vivacidade, trabalho em equipe, união, capacidade, força de vontade, superação e confiança. Vocês entraram em quadra com um objetivo e o perseguiram até o último segundo. Foram bravos, determinados e corajosos e foram verdadeiramente uma equipe, que se ajudou, que não deixou a responsabilidade em um único jogador, mas em todo o grupo, que a abraçou e se empenhou em fazer o melhor, nesse ponto as estatísticas ajudam, mas tenho certeza que não só na pontuação esse senso foi importante, mas em algo ainda mais primordial que é a defesa, que só funciona coletivamente.
Com certeza essa vitória entrará para a história e deixará para todos um legado de luta e coragem, além de ânimo, motivação e força para o que ainda virá pela frente. A estrada ainda é longa meus queridos, e mais do que nunca vocês estão cientes disso, pois isso, é o resultado de tudo que vocês vem trabalhando. Não há uma só pessoa nessa cidade que não tenha vibrado e que agora repousa a cabeça no travesseiro e sorri porque sabe que por maior que seja o sofrimento durante 40 e longos minutos, com vocês em quadra, vale a pena.
Assim, encerro essa mensagem, enaltecendo o espírito guerreiro e de união, é isso que transforma um grande grupo de atletas, numa equipe de basquete. Outros podem até formar times com atletas de ponta, mas nem com todo investimento do mundo terão o que temos aqui: uma equipe de verdade, que se ajuda, que luta junta, que sofre e comemora unida, sempre buscando uma saída e algo para melhorar. Isso são vocês, algo além do que vestir uma camisa e jogar, é sentir a vibração que ela provoca, num ritmo que só o coração sente, é saber que por trás dela existe uma infinidade de pessoas que amam e só desejam o bem do esporte e que se espelham em vocês e em sua luta e determinação.
VOCÊS SÃO NOSSOS HERÓIS!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *