Brasilia 90 x 88 Joinville

Hoje eu não vou falar de números, simplesmente porque eles não podem expressar o que realmente foi o jogo de hoje, não faria juz ao trabalho, a luta e a grandeza de nossa equipe. Foi um jogo complexo, equilibrado, até mesmo nos erros, foi disputado, tenso e longe de casa.
Estávamos diante do atual campeão brasileiro e não nos intimidamos, se isso não bastasse, estávamos na casa deles e ainda assim por vários momentos simplesmente comandamos o jogo, roubando a bola e encestado na cara do adversário. Provamos a nossa força, a nossa determinação e acreditamos em tudo aquilo que de reside dentro do coração. Utilizamos nosso talento, nossas virtudes, criamos oportunidades e fizemos o jogo fluir a nosso favor.
Porém pequenos detalhes nos deixaram por diversas vezes atrás do placar, bem como os deixamos atrás também. O coração simplesmente não conseguia mais entrar no ritmo, porque qualquer coisa poderia mudar a história da partida e realmente ela aconteceu e nos deu esperança, infelizmente a sorte não estava ao nosso lado e nem todo nosso empenho em manter a bola em nosso poder e arremessá-la em direção ao aro não foram suficientes para que o placar virasse a nosso favor.
Foi um clássico com todos os ingredientes de uma partida digna de duas grandes equipes. Entretanto quis que nessa noite não fossemos nós a comemorar, ao menos não o resultado. Sei que para a continuidade da competição a vitória era imprescindível e sei também que não alcançar esse resultado penaliza a equipe em sua essência, traz a frustração e até o pensamento de que não foi feito o suficiente, porém há sim o que comemorar, e eu esclareço.
Mesmo que o resultado não tenha sido numericamente positivo ele comprovou o que todos nós apaixonados por essa equipe já sabíamos: que essa equipe tem sim muita qualidade, tanto técnica quanto instintiva, coletiva e individual, e essa qualidade é sim suficiente para nos permitir alcançar tudo aquilo que desejamos, chegar aonde merecemos, basta pegar o exemplo do nosso trabalho no segundo quarto desta partida.
Durante a transmissão do jogo o locutor insistiu em dizer que tínhamos nos transformado no segundo quarto, mal sabe ele que aquele era nosso basquete, não um surto temporário de qualidade, aquele é o resultado do trabalho sério que é desempenhado por essa equipe em nossa cidade e nossa atuação era o resultado desse trabalho, aquele momento foi nossa equipe funcionando da forma como é fomentada, com segurança, coletividade, visão e emoção.
Se ao final faltou um arremesso certeiro, foi porque talvez houvesse tanta vontade de resolver a situação, vontade de decidir,  estavam todos tão focados no resultado que em alguns momentos foram consumidos pelo stress que isso gera, pela pressão, gerando então o resultado contrário ao desejado. É aí que entra a parte emocional, serenidade e frieza para dominar essa pressão e alcançar o equilíbrio. E não podemos condená-los se em algum momento não reagiram com essa frieza a pressão, porque somos humanos , nossa força está em nosso coração, não em nossos punhos, o que deve ficar claro, porém, é que esta noite o coração deu ao corpo e a mente tudo que era necessário para um bom rendimento.
É justamente nesse ponto que eu queria chegar. Não sabemos o que se passou, em quais condições vocês se encontravam em quadra, pois estávamos muito distantes de vocês, porém foi possível perceber que mesmo quando as coisas não iam bem não se deixaram abalar e continuaram firmes, jogaram um grande basquete, vivo, coletivo, permitindo as aparições individuais, pois as qualidades de cada um surgiram nos momentos importantes e não se deixaram levar, mesmo não concordando com algumas marcações, por exemplo, continuaram aplicados naquilo que foram fazer: jogar basquete. A equipe fez  o que devia fazer.
O modelo emocional, com controle e disciplina funcionaram sim, porque o nosso controle gerou desconforto ao nosso adversário em muitos momentos, tanto que passamos boa parte do jogo na frente e quando não estávamos também não deixamos que escapassem, distanciando-se no placar e foram detalhes, sorte que definiram o jogo. O fato é que alguém precisava perder e fomos nós, talvez porque para quem está envolvido na situação seja mais fácil nos penalizar do que a qualquer outro. Pode até parecer discurso de “perdedor”, mas na verdade são palavras de alguém que observa as coisas com a sensação de que estão sempre tentando puxar nosso tapete.
Por isso, nossa palavra de ordem daqui para frente deve ser antecipar, antecipar os passos do adversário, antecipar as adversidades, o clima, algo que na verdade já é feito, é só um reforço, porque o próprio  esporte nos ensina essa lição muito implementada na administração e é através dela que estamos sempre preparados técnica e psicologicamente para enfrentar o que vier , pois é quem comanda o jogo que vence, quem impõe o ritmo e determina as ações que está mais preparado para a vitória e nós estamos trilhando esse caminho, estamos dando os passos corretos, estamos atentos para nos adaptar as mudanças e precisamos usar essa nossa capacidade para decidir e se impor, somos capazes isso é um fato, precisamos aceitá-lo e principalmente os outros precisam nos deixar trabalhar.
Vocês são grandes, comprometidos e preparados, desejam mais do que qualquer um os resultados positivos, seguir mais longe. E preciso dizer que a verdade é que não estou aqui para motivá-los, simplesmente porque não tenho esse poder, a motivação depende de vocês mesmos, eu só posso lhes oferecer algo para que vocês possam alimentar seu coração para despertar sentimentos bons e se motivar para continuar.  Minha motivação em torcer para vocês é crescente, desejo que para vocês que  ela seja um estímulo.
Os resultados negativos fazem parte do aprendizado e da formação, não são motivos para depreciação. Fizemos uma grande partida, pequenos detalhes nos tiraram o resultado almejados, mas isso não é motivo para parar, muito pelo contrário, é hora de ampliar os conceitos sobre aquilo que deu certo, recuperar a força e seguir em frente, estamos no caminho certo e temos tudo que é preciso, então não desanimem, agora é a hora da verdade, então respirem e lembrem-se que vocês são tudo aquilo que as pessoas querem ser e não tem coragem de assumir, vocês são exemplos, são líderes, são talentosos, são o reflexo do amor, da dedicação ao esporte e a camisa, não se rendam, continuem lutando, porque a pedra de ontem é a escada de amanhã.
A vida segue e a trajetória de vocês é linda, não se deixem influenciar. Façam aquilo que vocês tem feito até aqui, é suficiente porque só lhes cabe fazer o está ao alcance de vocês, o resto é resto. Vocês é que importam!
FORÇA E SERENIDADE! TODO O RESTO VOCÊ JÁ TEM! ESTAMOS TORCENDO POR VOCÊS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *